Acessibilidade
A+
Aumentar Fontes
A-
Diminuir Fontes

Inverter Cores

Tons de Cinza

Trocar Cursor
INSTITUCIONAL
O MUNICÍPIO
Instalação do Município
Instalação do Município Conforme as exigências e os pressupostos da Lei e, conseqüentemente a necessidade da Instalação do Município de Coronel Domingos Soares-Pr, sendo a Justiça Eleitoral a responsável e encarregada para proceder a referida Instalação, o Doutor José Luiz Dosciatti, Juiz Eleitoral da 32ª Zona Eleitoral da Comarca de Palmas, Estado do Paraná, usando das atribuições legais que lhe cabia, resolveu, através da Portaria 15/96, de 23 de dezembro de 1996,  designar as 16 horas do dia 01 de janeiro de 1997, na Igreja da Comunidade Católica de Coronel Domingos Soares, para a Instalação do Município de Coronel Domingos Soares e, na seqüência, a posse dos candidatos eleitos em 03.10.96 dos Poderes Legislativo e Executivo. Ata de Instalação Solene do Município de Coronel Domingos Soares e da Primeira Posse dos Vereadores da Câmara Municipal de Coronel Domingos SoaresAo primeiro dia do mês de janeiro de um mil novecentos e noventa e sete, às 16:00 horas, na Igreja da Comunidade Católica, sito à rua Principal, s/n, na sede deste Município, realizou-se a solenidade de Instalação do Município de Coronel Domingos Soares e da Posse dos vereadores Eleitos no Pleito de 03 de outubro de 1996, pelo Dr. José Luiz Dosciatti, Mm.Juiz Eleitoral da 32ª Zona Eleitoral da Comarca de Palmas, constando dos seguintes Vereadores: João Maria Alves Taques, José Maria Belles Silveira, Antônio Francisco Correa da Silva, Jayme Lazzaretti, Jová Eugênio Vieira, Mário José Giacomel, Adão Fermino de Matos Nunes, Vanderlei Castanha e Juventino Barbosa Oliveira, ocasião em que se fizeram presentes diversas autoridades, convidados, líderes da comunidade e região, bem como a população de Coronel Domingos Soares. Compôs-se a mesa de honra convidando as autoridades e representantes de diversos segmentos da sociedade local e regional, o Mm. Juiz Eleitoral, Dr. José Luiz Dosciatti, declarou por iniciada a sessão solene de Instalação do Município e de Posse, dos Vereadores, convidando a todos os presentes para cantarem o Hino Nacional. Ato contínuo foi procedida a leitura da Portaria nº 15/96 a qual designa hora, data e local para a Instalação do Município e Posse dos Candidatos Eleitos em 03.10.96, dos Poderes Legislativo e Executivo. Na seqüência, foi declarado, pelo Mm. Juiz, formalmente Instalado o Município de Coronel Domingos Soares, convidando os vereadores eleitos pelo Município ora Instalado, para o pronunciamento do seguinte juramento: Prometo honrar, a Lei Orgânica a ser aprovada e promulgada por essa Legislatura, a Constituição Federal e a Constituição Estadual, cumpri-las, obedecer e respeitar as Leis e prometo honrar e desempenhar com proficiência e lealdade o mandato que me foi outorgado, trabalhando ao lado das autoridades e do povo pelo progresso deste novo município e do bem estar da população”. Feito o juramento, o Dr. José Luiz Dosciatti declarou-os empossados e convidou o Vereador mais idoso, o Sr. João Maria Alves Taques,  para presidir os trabalhos de eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal, ficando dispensados, os Srs. Vereadores da entrega da declaração de bens ao Mm. Juiz Eleitoral, por quanto tal documento já instruiu o pedido de registro das respectivas candidaturas. A seguir nomeou a Secretária “Ad Hoc” Sra. Lucy Salete Bortolini Nazaro para que a mesma prosseguisse os trabalhos de votação, usando a composição da Mesa Diretiva da Câmara Municipal através de eleição por voto secreto, digo, primeiramente para Presidente, seguindo-se a votação para os demais cargos. Ao final da votação foram convidados para compor como escrutinadores os Srs. Adão Fermino de Matos Nunes, Juventino Barbosa Oliveira e Mário José Giacomel. Encerrados os trabalhos de escrutinação, a comissão escrutinadora apontou os seguintes resultados: Presidente: Jayme Lazzaretti; Vice-João Maria Alves Taques; 1º Secretário: Mário José Giacomel; 2º Secretário: Juventino Barbosa Oliveira;  Em seguida, e como nada mais havia de ser cumprido, declarou-se encerrados os trabalhos, determinando o Mm. Juiz Eleitoral que se lavrasse a presente Ata, a qual, lida e achada conforme, vai devidamente assinada. Eu, Rogério Everaldo Schmidt, Secretário “Ad Hoc” a subscrevi.  Ata de Posse do Prefeito e Vice-Prefeito do Município de Coronel Domingos SoaresAo primeiro dia do mês de janeiro de um mil, novecentos e noventa e sete, às 17:00 horas, nesta cidade de Coronel Domingos Soares, no Prédio da Capela Nossa Senhora de Fátima, sito à Rua Principal s/n, onde foi realizada a Sessão Solene da Posse do primeiro Prefeito e Vice-Prefeito e com a presença dos Senhores Vereadores: Juventino Barbosa Oliveira, Mário Giacomel, Adão Nunes, Jayme Lazzaretti, João Maria Alves Taques, Vanderlei Castanha, Jová Eugênio Vieira, Antônio Francisco Ferreira da Silva, José Maria Belles, sob a Presidência do Vereador Jayme Lazzaretti, por ter sido eleito na sessão anterior, sendo convidada, (pela então Secretária nomeada “Ad hoc”, Sra. Lucy Salete Bortolini Nazaro[1]), a Sra. Aurora Torteli para secretariar os trabalhos,  compareceu o Sr. Celcio Luiz Reis, Prefeito Eleito e Legalmente Diplomado para prestar compromisso e tomar Posse como Prefeito do Município de Coronel Domingos Soares. Após as formalidades regimentais fez a afirmação solene de bem servir no cargo ao qual foi investido, prestando em voz alta o seguinte compromisso: “Prometo defender e cumprir a Constituição Federal, a Constituição Estadual e a Lei Orgânica do Município de Coronel Domingos Soares, observar, cumprir e fazer cumprir as Leis, promover o bem geral da População do Município e desempenhar com lealdade, probidade e patriotismo o meu mandato”. Após, o Sr. Presidente convidou o Sr. Valdir Vaz para fazer o juramento que o fez nos mesmos termos do Sr. Prefeito. Em seguida, o Sr. Jayme Lazzaretti, Presidente da Câmara Municipal de Vereadores, declarou legalmente empossado o Prefeito Municipal de Coronel Domingos Soares, o cidadão, Sr. Célcio Luiz Reis, passando, a partir desse momento solene, a existir Legal e juridicialmente este novo Município. Da mesma forma se deu com o Vice-Prefeito, Sr. Valdir Pereira Vaz. Na seqüência, houve o pronunciamento dos Senhores José Ferreira de Almeida, Valdir Pereira Vaz e Célcio Luiz Reis, que se congratularam pela criação do novo Município, fizeram agradecimentos e desejaram augúrios de Feliz administração e um grande futuro para o novo Município. Para constar foi lavrada esta Ata, assinada por todos os presentes.As atas foram transcritas conforme constam nos registros. 
15/09/2016
Criação do Município
Criação do Município              Em 21 de dezembro de 1995, pela Lei Estadual nº 11.265, aprovada pela Assembléia Legislativa do Estado do Paraná e Promulgada nos termos do x 7º, do Artigo 71 da Constituição Estadual, tendo como Presidente o Deputado Aníbal Kuri, e publicada em 28.12.95, foi criado o Município de Coronel Domingos Soares, com território desmembrado do Município de Palmas.             Suas divisas e confrontações ficaram sendo as seguintes: Começa na confluência do rio Iguaçu com o rio Butiá, seguindo pelo rio Butiá até sua cabeceira, daí em reta alcança a cabeceira do rio Rancho Grande, seguindo por ele até encontrar o rio Chopim; do rio Chopim segue até o córrego Manchora ou da Divisa, seguindo por este até sua cabeceira por uma reta, atingindo a cabeceira do lajeado do Veado, desce por este até sua foz no rio São Lourenço, desce por este até sua foz no rio Iratim, divisa intermunicipal com Bituruna, desce pelo rio Iratim, acompanhando os limites intermunicipais com Bituruna até a foz do lajeado da Escada; daí por uma reta alcança a cabeceira do Lajeado do Saltinho ou ribeirão da Canela, desce por este até sua foz no rio Iguaçu, seguindo pelo rio Iguaçu até encontrar o ponto de partida da confluência do rio Butiá.
15/09/2016
Criação do Distrito
Criação do Distrito Administrativo Municipal e do Distrito Judiciário Estadual Em 04 de maio de 1954, no Edifício da Prefeitura Municipal de Palmas foi criado o Quinto Distrito Administrativo de Coronel Domingos Soares, Decretado pela Câmara Municipal e Sancionado pelo então Prefeito Municipal, Senhor Amílcar Saporiti, através da Lei nº 129. Na ocasião escolheu-se como sede o Bairro do Retiro, tendo como circunscrição territorial o seguinte: como ponto de partida, o Passo Novo, no rio Chopim, seguindo pelas estradas de rodagem, que se dirigem às terras de cultura do rio Iratym[1], atravessando o lajeado da Estrela, no Quarteirão República, até atingir o Passo do Engenho Velho, no mesmo rio Iratym, descendo por este rio até a Foz do rio Iguassu[2], pelo qual desce até a embocadura do rio Butiá, subindo por este rio até atingir sua principal cabeceira, seguindo por linha seca, em reta, até a cabeceira do Lajeado Rancho Grande, pelo qual desce até sua foz no rio Chopim; e, finalmente,  sobre este rio até alcançar o Passo Novo, que foi o ponto de partida. A sede foi investida da categoria de Vila, recebendo o mesmo nome dado ao Distrito. Dez anos após, em 1964, criou-se o Distrito Judiciário pela Lei Estadual nº 4930, de 23 de setembro, com a denominação de Coronel Domingos Soares. Sendo que a sede ficou com as seguintes divisas: como ponto de partida, no Município de Palmas, o rio Chopim, seguindo por este até a divisa do Município de Mangueirinha, descendo por este, ainda, até a foz do rio Butiá, no rio Iguaçu, subindo até a foz do rio Iratim, seguindo, ainda, por este até a foz do rio Estrela, subindo até a cabeceira do arroio Butiá que deságua no rio Chopim, ponto de partida, fazendo divisa com os municípios de Clevelândia, Bituruna e Reserva do Iguaçu e Palmas. [1] Optou-se por usar a grafia original descrita na Lei.129, de 04.05.54.[2] Igualmente, optou-se pela grafia original descrita na Lei 129, de 04.05.54.
15/09/2016
O Patrono
O PATRONO Domingos Soares nasceu em 16 de abril de 1852, em Guarapuava-Pr. Filho do Coronel Joaquim Mendes de Souza, (um dos participantes da primeira expedição exploradora dos Campos de Palmas) e de Dona Cezarina Antonia de Jesus. Domingos Soares passou a maior parte de sua infância na Fazenda São Joaquim, no Município de Palmas, para onde veio residir ainda pequeno. Domingos Soares casou-se com D. Maria Lourenço de Araújo. A filha do casal Julia Maciel, nascida em 08 de julho de 1895 casou-se com Antonio de Araújo, desta união advieram dez filhos: Maria Lourenço de Araújo(14/06/1916), Domingos Soares de Araújo(25/12/1917), Manoel Lourenço de Araújo(04/06/1919), Ana Maciel de Araújo(29/05/1921), Nayda Maciel de Araújo(24/01/1923), José Lourenço de Araujo(21/06/1924), Elvira Maciel de Araújo(14/03/1927), Francisco Mirabeau de Araújo(06/01/1932), Aurora Maciel de Araújo(10/04/1934-única viva) e Pedro Antonio de Araújo(25/05/1936).Com o irmão o Sr José Maciel de Souza, que era proprietário de 1400 alqueires na Fazenda Fortaleza, montou em sociedade um engenho de cana para a fabricação de açúcar, pinga e álcool.Foi proprietário de uma área de 750 alqueires na “Cabeceira do Rio Jangada”, na época Distrito de General Carneiro, uma área de 326,5 alqueires na localidade de “Cacumbangue”, hoje Município de Cel Domingos Soares, dois lotes de terras rurais no lugar chamado de “Pepiry-Guassu”, Município de Chapecó-SC, com 834,5 alqueires e foi proprietário também da Fazenda Bom Sucesso, com 1.570 alqueires, distante de Palmas esta propriedade apenas 24 quilômetros hoje território do Município de Cel. Domingos Soares, uma terra composta de matas, madeiras de lei e pinheiros, além de campos e ervais nativos. Manteve em suas posses um rebanho médio de  800 cabeças de gado, caprinos, eqüinos, animais sempre de raça pura e selecionada. Foi um fazendeiro que sempre deu atenção a esta atividade buscando, inclusive, na Argentina técnicas de aprimoramento para a criação. Quando faleceu em 1928 Domingos Soares, segundo consta do processo de inventário da Comarca de Palmas, possuía mais de 3.400 alqueires de terras além de outros bens.Mostrou-se ávido pelo progresso de sua região, estando presente no tratado para uma grande via de comunicação entre Pato Branco (Município de Clevelândia) e Santo Antônio (Barracão), com vistas ao desenvolvimento dessa fértil e rica região.Nas legislaturas de 1914 e 1918 foi Deputado Estadual pelo Paraná e, de 1912 a 1916 e de 1925 a 1928 exerceu o cargo de Prefeito do Município de Palmas. Foi neste último mandato que enfrentou grandes dificuldades, tendo sido injustamente detido no P.G. sob suspeita de conivência com forças revolucionárias opostas à ordem vigente, por determinação do Comandante Militar destacado em Guarapuava, o General Cândido Rondon, que num ato de grandeza voltou atrás, penitenciando-se de forma a restabelecer o conceito de honorabilidade do então Prefeito de Palmas, nos termos do original do telegrama assinado por Rondon: “Guarapuava, 5 de março de 1925. Coronel Severiano, commandante do DestacamentoSeveriano. Recebi última declaração Coronel Domingos Soares, que julgo sincera e portanto acceitável por este commando, ficando em relação a elle inteiramente esclarecido o assumpto que deu lugar a sua detenção no vosso P.G. Em meu nome peço levar-lhe o pesar que tenho de o ter submetido aos rigores de medidas excepcionaes, para averiguações de factos em que o seu nome está envolvido, como elle verificará nos dois telegrammas que vai receber de pesadas. Ao nobre ancião Prefeito da cidade, apresentará a satisfacção que me cumpre dar-lhe pedido de excusas que lhe faço pelos soffrimentos Moraes que experimentou emquanto durou o inquérito em segredo de justiça. Republicano dos mais puros, dos mais nobres do Paraná, estou certo que saberá interpretar devidamente o intuito deste commando, quando o convidou a responder pelo enygma que encerram os telegrammas a elle dirigidos de Iguassu’ por Palmas. Tenho a convicção de ter sido por esse commando tratado com a attenção e respeito que a sua hierarchia social exige e a nobreza que sua idade reclama. Rejubilo-me com a população de Palmas pela restituição do seu venerando prefeito às altas funcções que exerce de Governador da cidade .Aff. Rondon”. Domingos Soares teve participação de relevância na “Revolta do Contestado” guerra da história brasileira que transcorreu de forma mais acentuada entre os anos de 1912/1916, coincidindo com a primeira gestão de Prefeito de Domingos Soares, atingindo seu ápice no entrevero Cel. João Gualberto e o Monge José Maria, no Irani. Como lhe cumpria a missão, recepcionou o então numeroso comboio militar no dia 18/10/1912, ainda na região do Horizonte, próximo a Fazenda São Joaquim, prestando toda espécie de auxílio as tropas e comandantes. Após vários dias de preparativos, mais especificamente em 20 de outubro, Domingos Soares encontrou-se com Cel. Gualberto a fim de dissuadi-lo de atacar as forças do “Monge”, sem sucesso, e se propôs a parlamentar com José Maria a fim de evitar um epílogo sangrento. Em 21 de outubro às 11 horas da manhã Domingos encontrou-se com José Maria levando consigo carta de rendição assinada por Gualberto, o Monge duvidou das garantias oferecidas para a rendição, dizendo-lhe Domingos Soares que também garantia as condições, em virtude de tal afirmação manifestou-se o Monge José Maria: “Sim, - concordou ele – pr’a o senhor eu podia ir, seu coronel; mas isso eu sei não está no senhor; eu lhe conheço, seu coronel, pr’a o senhor eu ia. – Eu tenho 8.000 homens pr’a brigar, seu coronel”.(A República, 18-11-1912) Diante de tais afirmações, a expedição de Domingos Soares tornou-se infrutífera, porém ciente de que fez o que podia de melhor diante dos fatos e da situação que se apresentara. O desfecho da revolta resultou, além de inúmeros mortos e feridos, no falecimento de Coronel João Gualberto e do Monge José Maria. Em 10 de dezembro de 1926 juntamente com familiares e amigos comemorou “Bodas de Ouro” ao lado de sua esposa coroando a passagem de seus 50 anos de enlace matrimonial de muita alegria. Cel. Domingos Soares, faleceu em 13 de março de 1928 com 76 anos de idade, na Fazenda Pitanga em Palmas, onde achava-se em tratamento de saúde, no exercício de seu segundo mandato de Prefeito de Palmas.No Museu Público de Palmas, além de outros objetos, está guardado em redoma de vidro um par de botas pretas as quais foram de propriedade de Domingos Soares.  
15/09/2016
Voltar
Confira as Últimas Notícias
24/05/2022 - Bandiera recebeu a Comissão da Advocacia Pública da OAB Subseção Palmas
O prefeito Jandir Bandiera recebeu, na tarde de hoje, a nova comissão da OAB – Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção de Palmas, denominada Comissão da Advocacia Pública, instituída em abril deste ano. Participaram do encontro o presidente da OAB Palmas, Dr. Jeander Giotto, a tesoureira, Dra. Ana Carolina Bevilacqua Maito, e da nova comissão, a presidente, Dra. Neyva Janara Rocha de Carvalho, o vice-presidente, Dr. Rudimar Rhinow, a secretária, Dra. Daniele Reisdoerfer, o membro, Dr. Rogério Everaldo Schmidt, o assessor jurídico da Prefeitura, Dr. João Luiz Lustosa, e a assessora de gabinete, Cristiana Oliveira. Segundo a procuradora da prefeitura de CDS e presidente da comissão, Dra. Neyva Carvalho, a visita faz parte de um Projeto da Comissão de apoio aos advogados públicos dos cinco municípios integrantes da subseção: Palmas, Coronel Domingos Soares, Clevelândia, Mangueirinha e Honório Serpa, bem como uma padronização normativa das Procuradorias Municipais de todos esses municípios. "O prefeito Bandiera foi o primeiro a qualificar e estruturar a Procuradoria, proporcionando cursos de qualificação nas diversas áreas de atuação dos procuradores", destaca Dra. Neyva, citando o apoio dado pela gestão domingosoarense aos procuradores municipais. A procuradora falou também da importância da distinção entre Procuradoria e Assessoria Jurídica para o bom funcionamento da gestão pública. De acordo com Giotto, a OAB é uma instituição unida e forte, e esta visita demonstra isso, visando a estreitar os laços com as administrações municipais dos municípios pertencentes à subseção. Para Bandiera, a instituição da Comissão da Advocacia Pública e a atuação social da OAB são muito importantes, porque além do reconhecimento e da valorização da categoria, colaboram com a transparência e melhoria dos trabalhos prestados pela Prefeitura. "Agradeço a visita da diretoria da OAB e da Comissão da Advocacia Pública; as portas do nosso gabinete estarão sempre abertas para dialogar pelo cumprimento das leis e pela promoção da democracia", finaliza o prefeito.
Atendimento
Segunda à Sexta das 8hrs às 12hrs e das 13:30hrs às 18hrs
Coronel Domingos Soares - PR
Rua Avenida Araucaria Centro - 85557-000
(46)3254-1166
assescom.pmcds@gmail.com
Atualizado Quinta-feira, 26 de Maio de 2022 às 16:39:34